Amo essa canção!

08/03/2010

Dia Internacional da Mulher - Momento para Reflexão

Camille Claudel
Nesse dia, dedicado a  nós, quero fazer uma reflexão sobre a trajetória das mulheres ao longo dos três últimos séculos e homenagear algumas grandes mulheres que fizeram história e estiveram à frente do seu tempo.
SÉCULO XIX
Permanecer solteira era uma desgraça para as mulheres. Casar era a única saída e para casar "bem", as mulheres dependiam da sua beleza, de acordo com o gosto masculino daquele tempo.
Profissionalmente, eram impedidas de entrar no mercado de trabalho. Mesmo assim, algumas mulheres desafiaram as regras do seu tempo e  por causa dessa ousadia, pagaram um preço muito alto . Foram rejeitadas pela sociedade machista na qual viviam, foram vistas como "desclassificadas" e foram desrespeitadas por onde passaram.
Um grande exemplo dessa época é a artista Camille Claudel, cujo talento incomparável foi ignorado, menosprezado. A escultora, que para mim, superou seu mestre, permaneceu à sombra do mesmo e morreu sozinha, isolada de tudo e de todos, louca, pagando o preço por ter sentido uma paixão que escandalizou seus contemporâneos.
Anita Garibaldi
Outra que conhecemos bem ,e que marcou sua época foi a brasileiríssima Anita Garibaldi, que felizmente entrou para a história como uma das mulheres mais fortes e foi considerada, no Brasil e na Itália, como um exemplo de dedicação e coragem.
SÉCULO XX

Frida Khalo
Ainda um difícil começo de século mas, logo as mulheres fizeram a famosa "Revolução Feminina'.Queimaram soutiens em praça pública, exigiram liberdade e respeito,  lutaram por seus direitos, conquistaram o direito de voto, entraram com força no mercado de trabalho mas, trabalhavam nas fábricas por até 12 horas seguidas e com salário muito inferior ao dos homens. Aquelas que se tornaram independentes continuaram sendo vistas, pela sociedade machista, com certa desconfiança.
No México, Frida Khalo expunha suas dores através da irreverência da sua obra e recusava-se a permanecer passiva diante do machismo do seu marido, mostrando ao mundo escandalizado, que se o homem podia trair, a mulher tinha o mesmo direito. 
Na França, Simone de Beauvoir abraçava a causa feminina tornando-se um símbolo da  luta feminista.

Simone de Beauvoir
Na Alemanha de Hitler, a corajosa Olga Benário se destaca por suas idéias comunistas, lutando pelo ideal de um mundo melhor, que ela acreditava que só seria possível através da política. Infelizmente, ela foi retratada aqui no Brasil, apenas como a companheira de Luís Carlos Prestes mas, Olga foi muito mais do que isso.Ela já tinha uma história construída quando veio para cá e se casou com Prestes.

Olga Benário
Outra brasileira que fez história e infelizmente é pouco lembrada por seus compatriotas é a escritora e jornalista Patrícia Galvão, a Pagu, cuja irreverência no seu modo de falar, de vestir-se e  comportar-se, deu lugar ao idealismo político e a defesa das mulheres na política e na sociedade. Filiada ao Partido Comunista, foi a primeira mulher brasileira do século XX  a ser presa política.
Patrícia Galvão- Pagu
SÉCULO XXI
Ainda estamos  bem no começo do século XXI e até o final dele, "muitas águas vão rolar" porém, tenho receio que a luta dessas mulheres não tenha continuidade, como deveria ter. Sim...A luta tem que continuar pois, apesar das conquistas que tivemos até aqui, ainda estamos longe da tão sonhada igualdade de direitos.
Segundo pesquisas recentes, hoje, ocupamos mais de 40% dos postos de trabalho porém, nossos salários continuam inferiores aos salários dos nossos colegas, do sexo masculino. Ainda ocupamos menos cargos de chefia do que eles e acumulamos uma jornada de trabalho, semanal, de até 12,7 horas a mais do que os homens, o que nos deixa vulneráveis ao estresse e nos leva a ter seqüelas graves.
Esses dados foram divulgados recentemente pela OIT (Oraganização Internacional do Trabalho) portanto, a coisa é mais séria do que parece.
Outro fator relevante, que me deixa triste e muito preocupada em relação ao futuro das mulheres, é a exploração do corpo feminino. E o que é pior, diferente de épocas anteriores, parece estar havendo um consentimento dessa exploração por parte das próprias mulheres. A coisa é  sutil mas crescente, nessa geração. Percebo que existe um apelo sexual muito grande, exagerado mesmo, por parte das jovens em relação ao seu corpo...Como se fossemos apenas um corpo e nada mais.
Vejo muitas adolescentes se permitindo vulgaridades e comportamentos assustadores. Vejo jovens mães, não apenas apoiando, mas  incentivando suas filhas, ainda tão meninas, a agirem como se fossem "mulheres fatais", vestindo-se e comportando-se como tais e vejo também, essas mesmas mães, ensinando aos seus filhos homens aquele antigo comportamento machista  de   olhar    para  a mulher  como um simples   objeto  sexual.
Como podemos  exigir respeito se nos mostramos aos homens como simples objetos? Como podemos exigir igualdade de direitos se ainda alimentamos e até reproduzimos o comportamento machista?
Que esse dia seja de celebração pelo que já conquistamos, sim. Mas que seja também de reflexão para não deixarmos que a luta de tantas mulheres tenha sido em vão.

10 comentários:

Carmen ACHADOS DE DECORAÇÃO disse...

É, ser mulher nem sempre foi fácil e, para nós brasileiras, continua sendo uma batalha por valorização de todas as formas, mas amo ser uma mulher e acho que nós temos muitas vantagens. Uma delas é que somos pessoas maravilhosas, flexíveis e capazes de realizar qualquer coisa sem medo nem preconceito. FELIZ DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES!! bjs

http://vilmamaisemelhor.blogspot.com/ disse...

OI AMIGA LINDA!! PARABENS PELO O SEU, O NOSSO DIA!! FIZ UMA POSTAGEM EM HOMENAGEM AO DIA DA MULHER E CLARO NÃO FALTOU VOCÊ!! BEIJOS!!

Yoyo Pizy disse...

Carmen, querida!
Apesar de todas as dificuldades, eu também adoro ser mulher!
Bjos

Yoyo Pizy disse...

Vilma,
Passarei agora em seu blog, para comemoramos juntas o nosso dia
Bjo

Ariadne disse...

Feliz dia das mulheres e eu feminista que sou...desejo que cada dia mais conquistemos nossos direitos e jamais deixaremos de lado a delicadeza de ser mulher...

Bjks

Yoyo Pizy disse...

Pois é Ariadne....O erro de algumas mulheres(ainda hoje) é pensar que o feminismo exclui a feminilidade...Rs
Bjoka

Fátima disse...

Olá Yoyo, tudo bem com você.
Isso mesmo, feminismo nada tem a ver com falta de feminilidade...eis aí um grande equívoco infelizmente !

Parabéns pra nós sempre.

Quanto à paz que buscamos para o mundo,John Lennon nos dá a receita, bastaria que seguíssemos.
Bem lembrada essa canção, adorei.

Beijinho de boa noite menina.

Yoyo Pizy disse...

Oi Fátima
Adorei sua visita.Volte mais vezes, viu!
Bjinhos

Mary disse...

Adorei este post...de uma autenticidade ímpar.
Bjs

Yoyo Pizy disse...

Obrigada Mary!
Bjo